Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Generalidades

Generalidades

16
Abr24

Thomas Piketty


Vagueando

O livro  "O Capital no Século XXI" deste autor tem-me servido de consulta sempre que penso em assuntos económicos e gostei bastante de o ler. Deixei várias marcações em muitas páginas que consulto com regularidade dado que contem muita informação resultante de análises históricas sobre modelos económicos de vários países ao longo de trés séculos, com conclusões sobre os resultados que se produziram ao longo deste tempo.

Piketty.png

 

Daí que resolvi ler este pequeno livro do mesmo autor que achei interessantíssimo, porque aborda, para além de outros, um tema muito importante que se liga com a questão muito martelada, as alterações climáticas, o aquecimento global.

Segundo o autor, para se fazer este combate, vai ser necessário levar as pessoas mudar radicalmente o seu estilo de vida mas isso implicará a criação de um sistema económico radicalmente diferente do atual sistema capitalista. 

Isto porque não será possível combater o aquecimento global sem uma redução drásticas das desigualdades, caso contrário não haverá uma reconciliação possível entre a humanidade e a natureza.

Recomento vivamente a leitrua deste livro de apenas 100 páginas, de leitura muito fácil, mas com muita informação.

 

04
Out23

O Mundo não para de me surpreender


Vagueando

Ora viva, como estão?

Hoje trago boas e más notícias, umas são animadoras, outras talvez não.

Como não percebo nada de meteorologia, muito menos de medicina, vou pisar terreno minado, com o teclado.

A primeira (supostamente) boa notícia é que vamos atingir a imortalidade, já em 2050. Estão a ver as vantagens, quando alguém nos diz “vai morre longe” é a chacota generalizada.

Por outro lado, vai ser especialmente interessante para julgar aqueles crimes que ocorreram há tanto tempo que, na maior parte das vezes, os criminosos já morreram há décadas. A justiça, que costuma ser lenta, só tem a ganhar, já que o conceito de lentidão desvanece-se.

Não deixa de ser irónico que na mesma altura em que se fala em atingir a imortalidade, alguém vem anunciar, ainda que daqui a 250 milhões de anos, a vida na terra extingue-se. Os ativistas climáticos que se cuidem, daqui a 250 milhões de anos vão perder o emprego e nessa altura serão imortais. Hoje talvez seja a melhor altura para repensarem as suas competências.

Segundo o Secretário Geral da ONU, António Guterres, “Estamos numa autoestrada para o inferno climático com o pé no acelerador”. É preciso muita atenção, não sei se existe capacidade financeira instalada para pagar as portagens durante 250 milhões de anos, nem tão pouco se a rede viária mundial consegue suportar a velocidade de deslocação até ao Inferno.

Até porque, com a moda dos radares de velocidade média, é capaz de ser mais fácil ser multado e acabar a viagem por falta de dinheiro para pagar a multa ou ficar sem carta porque se perderam todos os pontos e não poder continuar a viagem. Seria o que se chama morrer na praia.

A última boa ou má notícia, depende da perspetiva, mesmo sem a presença humana, a grande causa da atual emergência climática, a vida na terra já foi extinta várias vezes.

Eu cá não sou de intrigas!

05
Jul23

Há livros que aleijam quando são lidos


Vagueando

20230705_181340.jpg

 

Quando lemos um romance  esperamos um final feliz. Este livro de Maryse Condé, À espera da Subida das Águas, sem final feliz, fala-nos de dois temas que nos atormentam actualmente, os refugiados e as alteraçoes climáticas. 

A diferença é que nós compreendendo ou não estes dois fenómenos, ainda não fazemos a mínima ideia do sofrimento a que já estão sujeitas as pessoas refugiadas.

A autora faz-nos um retrato, duro e violento do que se passa e pelo que passam, as pessoas que vivem em guerra permanente e já estão a ser vítimas das alterações climáticas.

Retirei do livro quatro frases, que me impressionaram.

  1. Não podem imaginar como a rua pode ser maternal, mesmo numa cidade (Beirute) em estado embrionário como a nossa.
  2. Um terrorista não era simplesmente uma vítima desprovida de terra, de riqueza, e de felicidade que tenta desesperadamente, talvez de forma bárbara, fazer com que a sua voz seja ouvida?
  3. Porque motivo algumas pessoas têm sempre a barriga vazia e os olhos molhados?
  4. Morremos todos e aquilo que (François)Duvalier, (Raoul)Cedras e os outros déspotas não conseguiram fazer a fúria dos céus conseguirá.

Excelente livro, do melhor que já li.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub